O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

16 de abril de 2012

O Ordo Salutis (Ordem da Salvação) no Ensino Católico Apóstolico Romano


Rev. Gilson Soares dos Santos

A salvação tem uma ordem? Melhor dizendo, para que alguém chegue à salvação existe um caminho a ser trilhado? Ou será que não há regras nem ordem para se chegar à salvação? Uma coisa sabemos: fora de Cristo não há salvação, porém a ordem para se chegar à salvação, ou seja, a ordo salutis, estudaremos agora, vendo o entendimento das diversas correntes teológicas a respeito do assunto.

I – DEFININDO O TERMO

     Primeiro, vamos definir este termo dentro da teologia:

1.1 – Ordo salutis: É o processo pelo qual a obra da salvação é concretizada nos corações e vida dos pecadores.

1.2 – O criador do termo: O termo “ordo salutis” ou “ordem da salvação” foi criado por Jacob Karpov (teologia luterano) em 1737.

II - A ORDO SALUTIS (ORDEM DA SALVAÇÃO) NO CONCEITO CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO

     Para a Igreja Católica, a ordem da salvação é a seguinte:

a) Regeneração: Através do batismo. Esse batismo é realizado quando o indivíduo ainda é criança.

b) Graça Cooperativa: Sob a qual a pessoa se prepara para a salvação (nos sete sacramentos). O pecador recebe graça através da igreja e dos sacramentos.

c) Fé: É um assentimento intelectual ao ensino da igreja e na sua capacidade de entregar a graça infusa à pessoa.

d) Justificação: Vem através do batismo e é preservada pela obediência aos mandamentos e a prática das boas obras. Através das boas obras o católico pode merecer a graça subseqüente e, depois, a vida eterna.

     Para o catolicismo romano não existe perseverança. Para eles, ninguém pode ter certeza da salvação.


OBSERVAÇÃO: Querido (a) leitor (a) do nosso blog, na próxima postagem traremos o Conceito Arminiano sobre a Ordem da Salvação. Até a Próxima.