O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

20 de janeiro de 2013

Dogmas e Cerimônias na paganização da igreja romana


DOGMAS E CERIMÔNIAS NA PAGANIZAÇÃO DA IGREJA ROMANA

Pr. Gilson Soares dos Santos

A Igreja Católica Apostólica Romana menciona o ano 33 d.C. como a data da sua fundação. Na verdade, toda ramificação do cristianismo pode ligar sua origem à Igreja fundada por Jesus Cristo. O que torna uma igreja genuinamente cristã não é o fato de estar ligada à igreja de Cristo em sua fundação, mas sim, a sua fidelidade aos ensinamentos de Cristo. O que não é possível encontrar na Igreja Católica Apostólica Romana, pois ela, durante o seu desenvolvimento eclesiástico, incluiu dogmas e cerimônias que a paganizaram.

Quero elencar aqui dogmas e cerimônias que paganizaram a igreja romana. Alguns dados são apenas aproximados, pois, na maioria das vezes, as doutrinas eram discutidas durante séculos, antes de serem promulgadas como artigo de fé ou dogma.



SÉCULO

ANO

DOGMA OU CERIMÔNIA





I-II

33-196      

Nesse período da História, a Igreja não aceitou nenhuma doutrina Antibíblica.


II

197

Zeferino, bispo de Roma, começa com um movimento herético contra a divindade de Cristo.


III


217

Calixto se torna bispo Roma, pondo-se à frente da propaganda herética e levando a Igreja de Roma para mais longe do caminho de Cristo.


III

270

Origem da vida monástica no Egito, por Santo Antonio.


IV

304

Os bispos começam a serem chamados de papas.


IV

310

Iniciam a reza pelos mortos.


IV

320

Começam a usar velas nas igrejas pela primeira vez.


IV

325

Constantino celebra o primeiro concílio das igrejas


IV

370

Culto dos santos professado por Basílio de Cesareia e Gregório de Nanzianzo


V


381

A igreja recebe o nome de “católica”

IV

394

O culto cristão é substituído pela missa


IV

400

A reza pelos mortos torna-se artigo de fé. Introduzido o sinal da cruz feito no ar.


V

416

Começam a batizar crianças recém-nascidas


V

431

Maria é proclamada “a mãe de Deus”. Tem início o culto à Maria, mãe de Jesus.


VI

593

Criado o ensino sobre o purgatório


VI

600

O latim passa a ser usado como língua oficial nas celebrações litúrgicas


VII

609

Começo histórico do papado


VIII

758

A confissão auricular é introduzida na igreja por religiosos do Oriente


VIII

789

Início do culto às imagens e das relíquias


IX

819

A festa da assunção de Maria é observada pela primeira vez


IX

830

Começam a usar ramos e água benta


IX

880

Canonização dos santos


X

998

Estabelecimento do dia de finados


X

998

Observada a quaresma


X

1000

Cânon da missa


XI

1074

Proíbe-se o casamento para sacerdotes


XI

1075

Os sacerdotes casados devem divorciar-se, compulsoriamente, cada um de sua esposa


XI

1095

Indulgências primárias


XI

1100

Introduz-se na igreja o pagamento da missa e o culto aos anjos.



XII


1115


A confissão é transformada em artigo de fé


XII

1125

Entre os cônegos de Lião, aparecem as primeiras ideias da imaculada conceição de Maria


XII

1160

Estabelecidos os sete sacramentos


XII

1186

O Concílio de Verona estabelece a “santa inquisição”


XII

1190

Estabelecida a venda de indulgências


XII

1200

Uso do rosário, por São Domingos, chefe da inquisição


XIII

1215

A transubstanciação é transformada em artigo de fé


XIII

1220

Adoração à hóstia


XIII

1226

Introduz-se a elevação da hóstia


XIII

1229

Proíbe-se aos leigos a leitura da Bíblia


XIII

1264

Festa do sagrado coração


XIV

1303

A igreja católica apostólica romana é proclamada como sendo a única verdadeira, e somente nela o homem pode encontrar a salvação


XIV

1311

Procissão do santíssimo sacramento e a oração da Ave-Maria


XV

1414

Definição da comunhão com um só elemento, a hóstia. O uso do cálice fica restrito ao sacerdote


XV

1439

Os sete sacramentos e o dogma do purgatório são transformados em artigo de fé


XVI

1546

Conferida à Tradição autoridade igual a da Bíblia


XVI

1562

Declara-se que a missa é oferta propiciatória e confirma-se o culto aos santos


XVI

1573

É estabelecida a canonicidade dos livros apócrifos


XIX

1854

Definição do dogma da imaculada conceição de Maria


XIX

1864

Declaração da autoridade temporal do papa


XIX

1870

Declaração da infalibilidade papal


XX

1950

A assunção de Maria é transformada em artigo de fé



FONTE:

OLIVEIRA, Raimundo F. de. Seitas e Heresias: um sinal dos tempos. 10 Ed. Rio de Janeiro: CPAD. 1994.

CAMPOS, Lauro de Barros. Documentário: O Estado do Vaticano. 12 Ed. Campinas: Edição Própria. S/D.