O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

5 de dezembro de 2016

Para o Dia da Bíblia: Como a Bíblia Foi Preparada


PARA O DIA DA BÍBLIA
COMO A BÍBLIA FOI PREPARADA

Pr. Gilson Soares dos Santos

Quando estudamos a Bíblia como um LIVRO, precisamos ter informações sobre seu contexto, suas divisões e materiais que foram usados em sua elaboração. Por isso, estudaremos sobre o processo de escrita da Bíblia.

I_ Materiais empregados para preparação da Bíblia

1.1_ Materiais para escrita

"A impossibilidade de recuperar muitos dos antigos manuscritos (um manuscrito é, neste sentido, uma cópia à mão das Escrituras) se deve basicamente aos materiais perecíveis empregados na escrita da Bíblia.”.

a)_ Papiro

“O papiro é uma planta aquática que cresce junto a rios, lagos e banhados, no Oriente Próximo, cuja entrecasca servia para escrever. Essa planta existe ainda hoje no Sudão, na Galiléia Superior e no vale de Sarom. As tiras extraídas do papiro eram coladas umas às outras até formarem um rolo de qualquer extensão. Este material gráfico primitivo é mencionado muitas vezes na Bíblia, exemplos: Êxodo 2.3; Jó 8.11; Isaías 18.2. Em certas versões da Bíblia, o papiro é mencionado como junco; de fato, é um tipo de junco de grandes proporções. De papiro, deriva-se a nossa palavra papel. Seu uso na escrita vem de 3.000 a.C.”.

“Esse junco crescia nos rios e lagos de pouca profundidade, existentes no Egito e na Síria. Grandes carregamentos de papiros eram despachados através do porto sírio de Byblos. Supõe-se que a palavra grega para livro (biblos) tenha origem no nome desse porto. A palavra portuguesa "papel" vem da palavra grega papyros, isto é, papiro.”.

“Na Antiguidade, essa planta crescia principalmente no Egito e nos limites norte do Jordão. [..] Seus longos caules triangulares, medindo de 1 a 3 metros, terminavam em flores com a forma de sino. Essa planta era usada para fazer diversos artigos, inclusive barcos (Ex 2.3, a cesta em que Moises foi colocado para flutuar; Isaias 18.2 faz referencia a grandes barcos usados para o transporte dos enviados a Cuxe). Por causa da escassez de madeira, os egípcios faziam botes ou jangadas de papiro. Eles amarravam os juncos e usavam piche para toma-los impermeáveis. Também eram usados para a caça e a pesca nos pântanos e nas balsas que atravessavam os canais”.

“O papel era feito depois que o cerne da planta era extraído e cortado em tiras finas, colocadas lado a lado. Em seguida, colocavam sobre elas outra serie de tiras formando ângulos retos que eram, então, coladas por meio de um adesivo e alguma forma de pressão. Como as partes laterais tinham tiras horizontais (o recto), geralmente elas eram as primeiras a receber a escrita; o lado avesso, com tiras verticais era o verso da escrita. Essas folhas, coladas uma a uma, formavam rolos de papiro de diferentes comprimentos. O padrão era de 20 folhas. O papiro egípcio “Harris I” (aprox. 1160 a.C.), que esta no Museu Britanico, é o mais longo que se conhece até o momento, com 44 metros de comprimento. A altura variava entre um mínimo de 18 centímetros (ou menos) ate um máximo de 47 centímetros. Geralmente, um rolo de papiro tinha o comprimento suficiente para que uma composição completa, como um livro da Bíblia pudesse ser escrito sobre ele”.

“Os mais antigos manuscritos foram escritos em papiro, e era difícil a preservação de qualquer um desses papiros, exceto em regiões secas, como as áreas desérticas do Egito, ou em cavernas semelhantes às de Qumran, onde foram achados os rolos do mar Morto.”

Segundo Kirsopp Lake, é possível concluir que o fato de não termos os manuscritos originais de papiro deve-se ao fato de que “os escribas geralmente destruíam seus exemplares após copiarem os Livros Sagrados”.

b)_ Pergaminho

“Essa palavra designa „peles preparadas de ovelhas, cabras, antílopes e outros animais‟. Essas peles eram „tosadas e raspadas‟ a fim de se obter um material mais durável para a escrita. „pergaminho' tem origem no nome da cidade de Pérgamo, na Ásia Menor, pois a produção desse material para escrita esteve, numa certa época, especialmente associada ao local".

“O uso de peles curtidas remonta ao terceiro milênio a.C. no Egito. Peles de cabras e ovelhas eram mais resistentes que o papiro, e talvez mais disponíveis para os israelitas. [..] O pergaminho, uma pele de animal melhor preparada e mais lisa, começou a substituir o couro por volta de 200 a.C.”

O papiro e o pergaminho foram os principais materiais usados para a preparação dos manuscritos bíblicos. Porém, outros materiais também são citados na escrita:

1.2_ Outros materiais usados na escrita

a)_ Velino

“Era o nome dado à pele de filhotes de diversos animais. Frequentemente o  Velino era atingido de púrpura. Alguns dos manuscritos que temos hoje em dia são velino cor de púrpura. Geralmente os caracteres escritos sobre o velino purpúreo eram prateados ou dourados.”

b)_ Ôstraco

“Fragmento de cerâmica não-esmaltada, bastante usado entre o povo em geral. Esses fragmentos têm sido encontrados em abundância no Egito e na Palestina (Jó 2:8).”

c)_ Pedras
“Que eram escritas com caneta de ferro”

d)_ Tabletes de Argila

“Inscritos com um instrumento pontiagudo e, então, secados a fim de se ter um registro definitivo (Jeremias 17:13; Ezequiel 4:1). Eram os mais baratos e um dos mais duráveis materiais para escrita.”

e)_ Tabletes de Cera

“Um estilete de metal era usado para escrever num pedaço plano de madeira recoberto com cera.”

1.3_ Instrumentos para a escrita

O Papiro, o Pergaminho, o Velino, o Ôstraco, Pedras, Tabletes de Argila e Tabletes de Cera era materiais que recebiam a escrita. Porém que tipos de instrumentos eram usados para escrever nesses materiais? Vejamos os instrumentos usados para a escrita:

a)_ Cinzel

“Um instrumento de ferro para entalhar as pedras.”

b)_ Estilete de metal

"Usava-se o estilete, um instrumento triangular com uma cabeça plana, para fazer marcas nos tabletes de argila e de cera".

c)_ Pena

“Era feita de "juncos (juncus maritimis). com 15 a 40 centímetros de comprimento, sendo que uma das extremidades era cortada de modo a produzir o formato de cinzel achatado, a fim de que se pudesse fazer traços grossos ou finos com as beiradas largas ou estreitas. A pena de junco esteve em uso na Mesopotâmia desde o início do primeiro milênio (a.C), sendo que é bem possível que tenha sido adotada em outros lugares, enquanto que a ideia de uma pena de ave parece ter vindo dos gregos, no século três a.C." (Jeremias 8:8). A pena era usada para escrever em velino, pergaminho e papiro. A tinta, geralmente era uma mistura de „carvão, cola e água‟.”

1.4_ As formas dos livros antigos

Como eram as formas dos livros antigos. Vejamos:

a)_ Rolos

“Eram folhas de papiro coladas uma ao lado da outra, formando longas tiras, e, então, enroladas num bastão. O tamanho do rolo era limitado por causa da dificuldade de seu uso. Geralmente se escrevia só de um lado. Um rolo escrito dos dois lados tem o nome de "opistógrafo" (Apocalipse 5:1). Conhecem-se alguns rolos com 43 metros de comprimento, mas em geral, os rolos tinham entre seis e dez metros.”

b)_ Códice ou Livro

“A fim de tornar a leitura mais fácil e menos desajeitada, as folhas de papiro foram montadas em forma de livro, sendo escritas em ambos os lados. Greenlee afirma que o cristianismo foi o principal motivo para o desenvolvimento de formato do códice, ou volume manuscrito antigo.”

1.5_ Tipos de escrita

Vejamos os tipos de escrita usadas para gravar nesses materiais:

a)_ Escrita Uncial (Maiúsculas)

“Letras maiúsculas deliberadas e cuidadosamente desenhadas, próprias para livros. Os códices Vaticano e Sinaítico são manuscritos unciais.”

b)_ Escrita Cursiva (Minúsculas)

‟Uma escrita de letras menores, cursivas... criadas com vistas à produção de livros‟. A mudança de unciais para minúsculas teve início no século nove.”

Observações:

·        “Os manuscritos gregos eram escritos sem quaisquer espaços entre as palavras. Até 900 AD. o hebraico era escrito sem vogais, quando os massoretas introduziram a vocalização.”
·        “Os escritos originais, autênticos, saídos da mão de um profeta ou apóstolo, ou de um secretário ou amanuense, sempre sob a direção do homem de Deus, eram chamados autógrafos. Esses não existem mais.”


FONTES BIBLIOGRÁFICAS:

GEISLER, Norman. NIX, William. Introdução Bíblica: Como a Bíblia Chegou até Nós. São Paulo: Vida. 1997.

GILBERTO, Antonio. A Bíblia Através dos Séculos. 15Ed. Rio de Janeiro: CPAD. 2004.

PFEIFFER, Charles F. VOS, Howard F. REA, John. Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD. 2007.

TOGNINI, Éneas. BENTES, João Marques. Janelas Para o Novo Testamento. São Paulo: Hagnos. 2009.
.