O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

18 de fevereiro de 2015

Hoje é Quarta-Feira de Trevas

HOJE É QUARTA-FEIRA DE TREVAS

Pr. Gilson Soares dos Santos

Lendo o título acima, é possível que alguém, imediatamente, queira me corrigir: é quarta-feira de cinzas. Teimosamente, mas perfeitamente certo, ratificarei o título: é quarta-feira de trevas.

O povo vive em trevas. Pulam o carnaval, guiadas por suas paixões, pela mídia e pelo próprio reino das trevas. Cometem todo tipo de pecado, desde um pequeno gole até às drogas mais pesadas; desde um pequeno flerte até ao adultério; desde um pequeno empurrão até ao assassinato; desde um pequeno engano no troco até ao roubo e latrocínio, etc. Destroem seus lares, a saúde, suas vidas.

Depois dos três dias de muito escárnio, orgias, pecados (os mais diversos), entram numa igreja para receberem cinzas em suas testas como símbolo de reflexão para o dever da conversão, da mudança de vida e arrependimento, comemorando assim o primeiro dia da quaresma.

Isto tudo, pra mim, é viver em trevas. As pessoas são tão cegas espiritualmente que não percebem as arbitrariedades naquilo que fazem. Depois de pecarem desmedidamente, agem como se nada tivesse acontecido e entram na catedral de sua religião para dar início a um período religioso apenas recebendo cinzas sobre a testa, deixando esta marca até ao por do sol.

Bem que Paulo, o apóstolo, disse que “nossa luta não é contra sangue nem carne, mas contra os dominadores deste mundo de trevas”. O pecador em vez de buscar a luz para dissipar as trevas prefere apenas ignorá-las.

Não estou superdimensionando o poder das trevas, mas creio no que a Bíblia diz quando afirma que o homem morto em seus delitos e pecados continuará seguindo o curso deste mundo, que pertence ao príncipe das trevas; será guiado pelo príncipe da potestade do ar e do espírito de desobediência. O homem que ainda não nasceu de Deus seguirá as inclinações da carne, fará a vontade da carne e do pensamento, mesmo entrando na quaresma, na páscoa ou em qualquer evento de cunho religioso; e continua sendo, por natureza, filho da ira (Ef 2.1-3). Sua libertação acontecerá tão somente por meio da regeneração do Espírito Santo.

É lamentável que o “deus deste século” tenha cegado “o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo”. (II Co 4.4).

Posso, então, me reportar ao título acima e afirmar que a quarta-feira é de trevas, bem como todos os dias da semana serão tenebrosos para aqueles que não receberam a verdadeira luz que veio ao mundo: JESUS CRISTO, o Filho de Deus.