O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

9 de maio de 2013

Sobre evangelização de crianças: uma criança salva é uma vida salva






SOBRE EVANGELIZAÇÃO DE CRIANÇAS: UMA CRIANÇA SALVA É UMA VIDA SALVA

Conta-se a história do famoso evangelista norte-americano Dwight L. Moody. Ele estava voltando de um encontro evangelístico, e alguém perguntou se o encontro tinha sido bom.

- Sim – ele respondeu.

- Alguém foi salvo? – perguntou o homem.

- Sim – disse o Sr. Moody. – Duas pessoas e meia foram salvas.

Aquele homem sorriu com a resposta e observou:

- Sei o que você quer dizer. Dois adultos e uma criança.

- Na verdade, não – respondeu o Sr. Moody. – Duas crianças e um adulto.

O que exatamente ele quis dizer?

Quantas almas foram salvas naquela noite? Três.

Quantas vidas foram salvas? Duas e meia.

As duas vidas salvas eram daquelas crianças que chegando a Cristo quando jovens, possuíam sua vida inteira para viver para ele. A meia-vida era a de um adulto, que já tinha vivido a maior parte de sua vida no mundo, e tinha apenas a última parte de sua vida para dar a Jesus Cristo.

Uma criança salva é uma vida salva

Nós, que evangelizamos crianças, não estamos apenas interessados em sua alma, mas em sua vida. Quando uma criança confia em Jesus, ainda tem muitos anos, com a permissão de Deus, para viver para Ele. Uma moça certa vez me perguntou:

- Qual é a melhor idade para confiar em Jesus?

Minha resposta foi:

- Quanto mais cedo, melhor. Sessenta é uma boa idade. Quarenta é melhor. Vinte é ainda melhor. Quinze é melhor ainda. Mas é muito melhor confiar em Jesus com dez, oito ou seis anos! Quase a vida inteira está à frente.

(Extraído do livro “por que evangelizar crianças?”, de Sam Doherty, APEC. p.61)

NOTA: Dwight Lyman Moody nasceu em 1837 e morreu em 1899. Freqüentou a escola até os treze anos de idade, passou a trabalhar em fazendas. Aos dezessete anos, tornou-se caixeiro na sapataria de seu tio. Ali tornou-se membro da Igreja Congregacional. Tornou-se, então, caixeiro-viajante de uma firma de sapatos. Mostrou-se sempre interessado pela religião e pelo bem-estar dos homens. Organizou uma Escola Dominical, e promovia obras sociais. Em 1860, abandonou o seu trabalho secular a fim de dedicar-se, por tempo integral, à obra religiosa.

Na graça de Cristo,
  
Pr. Gilson Soares dos Santos