O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

11 de novembro de 2012

Tô Cansado Desse Ritmo!


TÔ CANSADO DESSE RITMO!

Pr. Gilson Soares dos Santos

Não é fácil para um homem como eu, fazendo parte do time dos “entas”, acompanhar as inovações tecnológicas feitas para atender a demanda da galera: e-mais, Orkut, Facebook, Twitter, MSN, Second Life, Blogs, Myspace, Multiply, 4Shared, Rapidshire, Flikr, Ask.fm, Google+, Downloads, Downloads e mais Downloads. Tento acompanhar, corro, às vezes me sinto à frente do meu tempo, outras vezes...
     
Chega uma hora em que a gente tem que botar a Filosofia Clínica para funcionar (que os críticos da filosofia clínica não me leiam), parar e perceber que isso também é vaidade “é correr atrás do vento”.
     
Leitura Bíblica Online, Chega! Vou voltar a folhear as páginas áureas das Sagradas Escrituras. 

Ebooks: Chega! Vou folhear meu velho Berkhof, Grudem, Hodge, Elben Cezar, John Stott, Lewis, Pascal, Agostinho.  

Esboços feitos diretamente no PC: Chega! Vou escrever, rascunhar, orar. Afinal de contas, orar num quarto à sós com Deus é muito melhor do que na frente da máquina. 

Pesquisas na NET: Chega! Vou encher a mesa de livros, dicionários, revistas, e ter o prazer de encontrar por mim mesmo o que preciso, é claro, com o acompanhamento do meu Orientador Supremo.
     
Se você é como eu, curioso pelos novos avanços, mas sente saudades dos tempos de Long Play,  então troque o verbo “teclar” pelo verbo “conversar”. Deixe de “teclar” e vá “abraçar”. Deixe de "bate-papo virtual" vá conversar olhando as pessoas nos olhos, vendo seus lábios se moverem, sinta o cheiro das pessoas, do ambiente, e o calor humano.
     
Tô cansado desse ritmo, mas infelizmente tenho que sobreviver nesta e com esta selva de bytes.