O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

22 de novembro de 2012

Aprendendo Sobre Dízimos e Ofertas


APRENDENDO SOBRE DÍZIMOS E OFERTAS

Pr. Gilson Soares dos Santos

INTRODUÇÃO    

Se um crente deseja receber bênçãos espirituais, ele precisa servir a Deus a reconhecer o Seu senhorio na área espiritual.
     
Se um crente deseja receber as bênçãos materiais, ele deve honrar a Deus com seus bens materiais.

01 O QUE É O DÍZIMO?

A própria palavra já diz. Dízimo vem da palavra dízima, que quer dizer, a décima parte. Portanto, entregar o dízimo significa dar a décima parte das nossas rendas.

02 DAR O DÍZIMO É MANDAMENTO BÍBLICO?

Sim. Confira Malaquias 3.10, a palavra escrita é: “Trazei”. Isso é um imperativo, uma ordem, um mandamento. Mas, acima de tudo, a entrega do dízimo é uma forma de gratidão a Deus pelas bênçãos dadas por Ele a nós. Quando eu entrego o dízimo, estou reconhecendo o senhorio de Deus sobre todas as coisas. Estou reconhecendo que dEle é a prata, o ouro, a terra e toda sua plenitude (Ag 2.8; Sl 24.1).
     
Devemos lembrar-nos que tudo quanto possuímos pertence a Deus, de modo que aquilo que temos não é nosso: é algo que nos confiou aos cuidados. Não temos nenhum domínio sobre as nossas posses.

03 O QUE ACONTECE AO QUE NEGA O DÍZIMO?

Vejamos como a Bíblia encara o sonegador de dízimo:

A - Chama-o de ladrão (Ml 3.8);

B - É amaldiçoado (Ml 3.9);

C - O dinheiro que recebe não supre as suas necessidades (Ag 1.4-11).

04 O QUE ACONTECE AO DIZIMISTA?

Vejamos o que diz a Bíblia:

A - O Senhor abrirá as janelas do céu e derramará bênçãos abundantes (Ml 3.10);

B - Repreenderá o devorador que suga nossas economias (Ml 3.11). OBS.: No contexto de Malaquias, tratava-se da peste que devorava as plantações. Em nosso contexto, existem outros tipos de devoradores. A Bíblia aqui não trata de demônios.

C - Teremos os nossos celeiros cheios (Pv 3.9,10).

05 ONDE O DÍZIMO DEVE SER ENTREGUE?

A - O dízimo deve ser entregue na Casa dos Tesouros (Ml 3.10). Em outras palavras, na tesouraria da igreja.

B - Engana-se quem pensa que pode usar o seu dízimo para comprar folhetos, dar esmolas, comprar som, bancadas ou presentes para a igreja. O dízimo deve ser entregue na tesouraria.

C - Se alguém entregar o dízimo à tesouraria da igreja e os responsáveis por essa tesouraria utilizar mal o dinheiro, desperdiçá-lo, ou usá-lo de forma desvirtuada, o dizimista será abençoado, pois cumpriu sua parte. Aqueles que utilizarem mal os dízimos, serão castigados.

06 O DÍZIMO DEVE SER DEZ POR CENTO?

O dízimo deve ser dez por cento da nossa renda.
     
Se alguém ganha 100 e dá 5 dizendo que é dízimo, está enganado. Não pode esperar as bênçãos que Deus tem prometido aos dizimistas, porque essa pessoa não é dizimista. A décima parte de 100 é 10 e não 5.

07 DEVEMOS DAR O DÍZIMO DAS PRIMÍCIAS?

A Bíblia mostra claramente que Deus quer as primícias. Vejamos o texto de Pv 3.9. E todos sabem que as primícias quer dizer as primeiras.

Ao lermos Gn 4.1-5 descobrimos que Deus aceitou a oferta de Abel porque ele deu das primícias (v4). Veremos, também, que Deus recusou a oferta de Caim porque ele não deu das primícias, e sim do que restou. O texto diz que Caim trouxe a sua oferta depois de alguns dias (v3).
     
O crente que estiver pensando em entregar o dízimo do que sobrar, não espere as bênçãos de Deus. Deus não se agrada de sobejos.

08 ONDE ENCONTRAMOS O DÍZIMO NO ANTIGO TESTAMENTO?

Vejamos:

A - Com Abraão (Gn 14.18-20), antes da lei; Com Jacó (Gn 28.18-22), antes da lei;

B - Em Israel (Lv 27.30-32; Nm 18.20-32; Dt 14.22,23) na época da lei;

C - No retorno do cativeiro (Ml 3.6-12), época posterior ao exílio.

09 ONDE ENCONTRAMOS O DÍZIMO NO NOVO TESTAMENTO?

Vejamos:

A - Com os escribas e fariseus (Mt 23.23). Note que Jesus não está condenando a prática do dízimo, pois a palavra “devíeis” quer dizer que é dever. O que Jesus está condenando é que os escribas e fariseus davam o dízimo de tudo, mas não praticavam a justiça, a misericórdia e a fé.

B - Na era apostólica (Hb 7.1-9). Note a palavra “recebem” no v8. Está no presente do indicativo. Isso quer dizer que na época do escritor aos Hebreus o dízimo era praticado.

10 O DÍZIMO É UMA ESPÉCIE DE POUPANÇA?

Não. Se alguém entrega o dízimo com a intenção de enriquecer, ou ter muito lucro, essa pessoa não será abençoada. Entregar o dízimo não é uma espécie de empréstimo, não é emprestar dinheiro a juros. Entregar o dízimo é uma forma de louvor a Deus.

11 O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE AS OFERTAS?

Vejamos o padrão bíblico para ofertas:

A – A Bíblia diz que aquele que não oferta também está roubando ao Senhor (Ml 3.8);

B – A oferta deve ser dada com alegria (II Co 9.6,7);

C – A oferta era uma prática comum nos dias de Jesus (Lc 21.1-4);

D – Nas ofertas não há valor nem percentual estipulado, mas cada deve ofertar o que propuser no coração, segundo sua prosperidade (I Co 16.2; II Co 9.7).

E – A oferta também deve ser entregue aos administradores da Casa do Senhor. Veja que na época dos apóstolos as pessoas traziam suas ofertas e depositavam “aos pés dos apóstolos” (At 4.34,35,37)

F – No Antigo Testamento as coletas também eram feitas publicamente (Ex 25.1-9).

G - Além dos dízimos, os israelitas eram instruídos a trazer numerosas oferendas ao Senhor, principalmente na forma de sacrifícios. Levítico descreve várias oferendas rituais: o holocausto (Lv 1; 6.8-13), a oferta de manjares (Lv 2; 6.14-23), a oferta pacífica (Lv 3; 7.11-21), a oferta pelo pecado (Lv 4.1—5.13; 6.24-30), e a oferta pela culpa (Lv 5.14—6.7; 7.1-10).

H - Além das ofertas prescritas, os israelitas podiam apresentar outras ofertas voluntárias ao Senhor. Algumas destas eram repetidas em tempos determinados (ver Lv 22.18-23; Nm 15.3; Dt 12.6,17), ao passo que outras eram ocasionais. Quando, por exemplo, os israelitas empreenderam a construção do Tabernáculo no monte Sinai, trouxeram liberalmente suas oferendas para a fabricação da tenda e de seus móveis (Êx 35.20-29). Ficaram tão entusiasmados com o empreendimento, que Moisés teve de ordenar-lhes que cessassem as oferendas (Êx 36.3-7).


CONCLUSÃO

Todo aquele que aprendeu o valor dos dízimos e ofertas, certamente sabe o sabor de uma vida vitoriosa em Cristo Jesus.