O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

29 de janeiro de 2013

Implicações religiosas da tragédia em Santa Maria


IMPLICAÇÕES RELIGIOSAS DA TRAGÉDIA EM SANTA MARIA

Pr. Gilson Soares dos Santos

No domingo passado, 27 de janeiro de 2013, fomos surpreendidos com a notícia de que um incêndio que atingiu a Boate Kiss, em Santa Maria, na região central do Rio Grande do Sul, deixou mais de 230 mortos. O fogo começou por volta das 2h30 de domingo, durante a apresentação da banda Gurizada Fandangueira, que realizou uma espécie de show pirotécnico, e se alastrou rapidamente devido ao material usado para o isolamento acústico. Muita coisa já se sabe sobre as causas do incêndio, muitas perguntas ainda serão respondidas sobre a tragédia que abalou o Brasil. Porém, gostaria de postar aqui algumas implicações religiosas da tragédia em Santa Maria/RS, respondendo a perguntas sobre o assunto. A interlocutora é Melissa Brasil, nome fictício, mas as questões são reais.

MELISSA BRASIL: Podemos dizer que a tragédia aconteceu simplesmente porque os jovens ali não estavam dando glória a Deus?

PR. GILSON: Não. Embora muita gente queira classificar a tragédia ocorrida ali como sendo um castigo de Deus sobre aqueles jovens, eu não compartilho com isso.

MELISSA BRASIL: Por quê?

PR. GILSON: Se Deus fosse castigar, naquele dia, as pessoas que não estavam adorando a Ele, aconteceriam tragédias, piores do que a de Santa Maria/RS, no mundo inteiro. Pois naquele mesmo horário estavam acontecendo festas semelhantes em outros lugares do mundo.

MELISSA BRASIL: O senhor tem algum texto bíblico que respalde o que está dizendo?

PR. GILSON: Certa vez, alguns críticos vieram a Jesus e lhe falaram de pessoas que foram mortas, insinuando que elas eram mais pecadoras que outras. Jesus respondeu da seguinte forma: “Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis. E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.” (Lc 13.2-5).

MELISSA BRASIL: O senhor poderia citar outro texto bíblico?

PR. GILSON: Encontramos, na Bíblia Sagrada, a tragédia que atingiu a família de Jó. O texto diz que os filhos de Jó estavam numa festa na casa do irmão mais velho, quando veio um grande vento, e deu nos quatro cantos da casa, e ela desabou sobre aqueles dez jovens e morreram todos (Jó 1.18,19). E se você observar, Jó orava pelos filhos, levantava-se de madrugada e oferecia holocaustos por todos eles (Jó 1.5). Fatalidades acontecem com qualquer pessoa. No dia anterior à tragédia em Santa Maria/RS, uma avó estava indo para a igreja com o netinho, caminhando sobre um calçada, aparentemente segura, ambos foram atropelados por uma carreta desgovernada e morreram. São casos trágicos que a mente humana jamais compreenderá se não tiver um entendimento sobre Deus.

MELISSA BRASIL: É possível termos um entendimento sobre o porquê dessas coisas?

PR. GILSON: Tragédias acontecem todos os dias, toda hora, em todo lugar. O que nos deixou abalados é o fato da morte de mais de 230 pessoas acontecer ao mesmo tempo. Mas se tomarmos o Brasil todo como uma grande Casa de Shows: quantos morrem incendiados, por dia, no Brasil? Quantos morrem vítimas de acidentes, por dia, no Brasil? Quantos são assassinados, por dia, no Brasil? Quantos morrem de maneira trágica, todos os dias, no Brasil?

MELISSA BRASIL: É possível que o ocorrido com os jovens em Santa Maria/RS tenha implicações religiosas? Numa hora dessas muitos culpam até o próprio Deus. De quem é, de fato, a culpa?

PR. GILSON: A possibilidade de tragédias sobre os humanos é inerente à própria existência de um mundo onde as pessoas agem de maneira desumana. Aquela boate poderia funcionar com tantas irregularidades, conforme comprovadas pela perícia? Deus tem culpa? De quem é a culpa? Aqueles jovens não morreram por culpa de Deus, mas pela imprudência de homens que desrespeitam as leis de segurança. Não foi Deus quem construiu aquela boate e a pôs pra funcionar de maneira irregular. Foram os homens, e não Deus, que promoveram a festa num local impróprio.

MELISSA BRASIL: Isso é verdade. Porém, mesmo que a tragédia tenha sido causada pela negligência do ser humano, ainda assim gostaríamos de saber a razão para a tolerância por parte de Deus no que diz respeito a permitir que homens, gananciosos por dinheiro, ponham em risco a vida de seus semelhantes.

PR. GILSON: Sempre vamos querer respostas em Deus após cada tragédia. De uma coisa devemos ter certeza: Deus permite que as tragédias venham, mas ele trabalha, na vida do ser humano, mesmo em meio às calamidades. Deus permite as inconveniências, mas tira proveito delas, em favor do próprio homem. Nossa mente limitada não pode compreender o quanto Deus pode tornar positiva uma tragédia desta que ocorreu com os jovens em Santa Maria/RS. Deus não nos isenta de dores, mas diz que apesar delas Ele está conosco transformando o “vale de Baca” em um manancial. É na adversidade que Deus forja o homem. A imprensa noticiou a tragédia, porque lhe é conveniente, porém não tem interesse em noticiar os pontos positivos que podem existir mesmo numa calamidade desta.

MELISSA BRASIL: Obrigada, Pr. Gilson, pelas respostas. A palavra é sua para encerrar.

PR. GILSON: Quero encerrar convocando a todos os que leem esta entrevista para orar pelas famílias dos jovens que tiveram a vida ceifada na madrugada do dia 27 de Janeiro de 2013, em Santa Maria/RS.