O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

15 de dezembro de 2012

"Festival Promessas": Promessa de dias melhores para os evangélicos?


“FESTIVAL PROMESSAS”: PROMESSA DE DIAS MELHORES PARA OS EVANGÉLICOS?

Pr. Gilson Soares dos Santos

O “Festival Promessas” deu o que falar. Já era de se esperar. Afinal de contas, é a Globo quem patrocina. Essa aproximação da Globo com o público evangélico soa um tanto estranho. Não precisa ser doutor no assunto para perceber que a turma “gospel” transformou-se subitamente no mais novo comércio da emissora do “plin! plin!”.
    
Não tenho aqui a intenção de afirmar dogmaticamente que estamos sendo totalmente prejudicados com essa aproximação da Rede Globo de Televisão. No entanto, não vejo muita vantagem num Festival que promove nossos cantores, que os transforma em ídolos, que faz que aumente ainda mais a idolatria do povo pelos cantores “gospel”. Não vejo vantagem num festival que diminui o número de cristãos e aumenta o número das “valadetes”. Não vejo futuro num evento que faz com que o povo esqueça que a Rede Globo sempre atacou os evangélicos e agora faz deles fonte de lucro.
     
Os cantores “gospel” saem mais ricos e a pregação do Evangelho genuíno, empobrecida. A música “gospel” sai exaltada e seus propagadores idolatrados, mas o nome de Jesus apenas entra na “onda”. E sabemos que o povo segue sempre “a moda”. O nome “Jesus” está entrando na moda, mas Jesus não está entrando na vida das pessoas.
     
Um exame superficial do evento em questão, talvez leve muitos a achar que, à semelhança da igreja dos primeiros tempos, estamos “contando com a simpatia do povo”. Mas uma análise mais aprofundada nos alertará que estamos vivendo época semelhante àquela, quando “o cristianismo” tornou-se a “religião oficial do Império Romano”.
     
Leio em Isaías 42.8 “Eu sou o Senhor, este é o meu nome. A minha glória a outrem não darei”. Infelizmente os cantores “gospel” continuam, à semelhança do papai Noel da época do natal, roubando a glória para si. Eles adoram ser idolatrados, ovacionados, endeusados, e, claro, têm que fingir que a glória é para Jesus.
      
O Festival Promessas promete! Promete o quê? Eu não sei. Poderia ser bom, mas infelizmente está promovendo gente que nem de Bíblia entende. Está transformando em ídolos homens e mulheres com “pés de barro”. Está enriquecendo a Rede Globo e calando a boca de “crentes” que antes acusava a Emissora de ser “diabólica”.
     
Meu Festival é ouvir a Palavra de Deus através de homens que se escondem por trás dela, de homens que não buscam glória para si, de servos de Deus que ainda defendem o “Sola Scriptura” e que não buscam ser idolatrados,  mas defendem “Soli Deo Gloria!”.