O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

8 de maio de 2012

Como Funcionam os Cultos nas Igrejas do Ré-Té-Té (PARTE III)


Rev. Gilson Soares dos Santos

COMO FUNCIONAM OS CULTOS NAS IGREJAS DO RÉ-TÉ-TÉ? (PARTE III)

Sabemos que os movimentos pentecostais e neopentecostais têm trazido muitas novidades, em sua maioria, sem base bíblica. O pior de tudo, nesses últimos tempos, surgiu entre os grupos pentecostais e neopentecostais o movimento conhecido como ré-té-té, trazendo consigo comportamentos estranhos, combatidos até mesmo pelos próprios pentecostais. Exemplo claro disto é o texto a seguir, extraído do Livro “Mais erros que os pregadores devem evitar”, de autoria do Pr. Ciro Sanches Zibordi, da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), que revela como funcionam os eventos realizados pelo movimento do “ré-té-té”. Agora vamos postar a parte 3 de um culto nas igrejas do ré-té-té. É interessante que você leia a parte 1 e 2, que encontra-se na nossa seção APOLOGÉTICA.

________________________________________________________________


Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino, que pregues a palavra... com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências. 2 Timóteo 4.1-3


Enquanto Caio — um tanto obeso — suspende a calça, olhando para o povo e os obreiros do púlpito, muitos começam a dizer aleluias e glórias a Deus. Fica patente a facilidade que o pregador tem de cativar o público.

— Eu quero cumprimentar o povo de Deus com a sacrossanta paz do Senhor, amém?

— Amééééééééém!

— é bom estar de novo nesse congresso. No ano passado eu não pude estar aqui porque fui levar fogo a vários países da Europa... Aqueles alemães, franceses, italianos e portugueses agora sabem o que é a unção da loucura... — risos. — Bem, antes de lermos uma passagem da Bíblia, abrace pelo menos três irmãos e diga-lhes: "É bom estar nesse congresso".

Caio Riso então suspende a calça novamente, faz o povo ler com ele o texto de João 14.12 e brada:

— Nesta tarde, este lugar vai tremer! Você já pode começar a mandar glória para cima, pois Jeová já está mandando poder para baixo. Coisas maiores do que as feitas por Jesus nós faremos agora. Se o seu cabelo começar a crescer, não fique preocupado; se o seu vestido justo ficar solto no corpo, irmã que se sente gorda, isso tudo é coisa nova para nosso tempo. Receeeeeebaaaaa...

O povo alvoroça-se, e o presbítero Neófito é o primeiro a começar a rodopiar na tribuna. Vários cantores e pastores o acompanham. E o pregador continua:

— Mas eu não vim aqui somente para pregar milagres. Tem fariseu aqui neste altar!

— Êta, Jeová! Fala mesmo, meu Pai! — grita a irmã Marionete, enquanto o seu esposo, Títere, cabisbaixo, parece estar preocupado.

— Hoje Jesus vai quebrar as suas pernas! — diz o pregador. — Prepare o lombo, fariseu! Você que vive julgando o sobrenatural de Deus, que despreza os sinais desta última hora, nesta tarde você vai conhecer a unção da loucura de Deus! Receeeeebaaaaaa... — sons de línguas não inteligíveis por parte do pregador, dos obreiros do púlpito e da multidão. Algumas pessoas começam a cair...

E o pregador prossegue:

— Encosta aí testa com testa. Olha dentro do olho do seu irmão e lhe diga: "Satanás, você está derrotado".

Inconformado, Títere não obedece ao pregador e diz à Marionete:

— Que é isso? Eu vou dizer para você essas palavras?

— Não é para mim, Tite, é para o Diabo.

— Mas, Nete, por que eu tenho de falar isso olhando para você?

— Tá bom, tá bom; preste atenção à mensagem.

O pregador, então, segurando a mão do pastor José dos Clichês, lhe pergunta:

— Tem sapato de fogo? Tem sapaaaato?

E, vendo Clichês balançar a cabeça positivamente, sopra sobre ele, e... Bum! O famoso pregador das frases de efeito estatela-se no chão.

— Pule, pule, pule! — continua Caio Riso. — Pule com um pé só! Pule! Não se importe com que vão pensar de você. Pule, pule, pule! Receeeebaaa...

Ao som de línguas não inteligíveis, aleluias, glórias a Deus e outras expressões, ele prossegue:

— Já tem cabelo crescendo aí? Veja se tem dente de ouro em sua boca.

Títere está admirado, pois ainda não houve propriamente uma pregação, e o povo parece não sentir falta disso. O importante para todos é o reteté...

— Nesta tarde, Deus vai batizar com o Espírito Santo. Quem aqui no púlpito tem sapato de fogo? Eu quero ver. Levante a mão. Venham até aqui. Eu vou ungir a mão de vocês, e a minha unção vai passar para cada um.

O pregador então declara que a sua unção está sendo transmitida àqueles obreiros e lhes ordena:

— Desçam agora e coloquem a mão na cabeça de quem não é batizado. O milagre vai acontecer agoooooooraaaaa... Receeeeebaaaaaa...

Muitos caem; alguns ficam inertes, outros, parecendo estar energizados, movimentam-se rapidamente... 

Títere continua preocupado. Ele nada sente e está incomodado pelo fato de o pregador não expor a Palavra de Deus.

— Se alguém cair perto de você, pode deixar caído; ele vai receber a cirurgia do céu — afirma o pregador.
Pessoas começam a rolar pelo chão. Outras andam como se fossem quadrúpedes, emitindo sons estranhos. E ainda outras permanecem em pé, mas batem os braços, como se quisessem levantar vôo...

— Meu Deus, o que é isso? — pensa Marionete. Na verdade, nem ela esperava ver o que estava acontecendo...

De repente, o preletor silencia, levando todos a se calarem.

Após alguns instantes, ele começa a rir...

— Há, há, há, há, há...

Esse é o momento do culto mais difícil para Títere e Marionete. Ambos estão confusos, ao ver pessoas caírem ao chão rindo, rugindo, mugindo... Vários irmãos não concordam com o que vêem e retiram-se do local. Outros permanecem no lugar, mas, apesar de serem instigados pelo pregador milagreiro, não se movem.

E assim a reunião da tarde foi se prolongando, até o pregador entregar o microfone ao pastor Joselito Lerante. Como as horas estavam avançadas, ele tratou de terminar logo o culto, avisando os irmãos de que a reunião da noite teria como pregador um amigo seu de infância, que ele não via há muito tempo...

— Qual é o nome dele, Nete? — pergunta Títere.

— Não sei, meu bem. Quem poderia ser?

Muitas pessoas ainda estão alvoroçadas, como conseqüência da "pregação" de Caio Riso, mas o pastor Joselito, olhando para o relógio, ora depressa e impetra a bênção apostólica.
Fim de reunião, na parte da tarde.