O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

10 de março de 2015

Características de Jesus como Mestre


CARACTERÍSTICAS DE JESUS COMO MESTRE

Pr. Gilson Soares dos Santos

Jesus é o nosso modelo por excelência. Quem quiser fazer as coisas da maneira certa, deve recorrer a Cristo como exemplo. A fim de apresentarmos as características de Jesus como mestre, recorrermos à obra “Bases da Educação Cristã” da autoria de Hayward Armstrong (ARMSTRONG, 1994).

a) As características de Jesus como Mestre

Em primeiro lugar, Jesus praticava as artes literárias. Ou seja, ele demonstrou sua habilidade de ler (com autoridade) na sinagoga (Lc 4.16-20); ainda que não tenha escrito livro, nem um folheto, sequer cartas etc, demonstrava sua familiaridade com a arte de escrever (Jo 8.6) (idem, p.26).

Além de suas habilidades literárias, Jesus possuía algumas qualidades especiais que usou em seu ensino. Tinha familiaridade com as tradições e leis orais de seu povo (Mt 5.21,27,31,38,43). Compreendia profundamente a natureza humana, o que lhe permitia discernir os pensamentos e sentimentos Íntimos das pessoas com quem mantinha contato (Mt 9.4; Jo 1,47; 2.25). Jesus ensinava com autoridade (Mt 7.28,29). (idem).

b) Os métodos de Jesus

            Vejamos os métodos usados por Jesus:

Em primeiro lugar, Jesus ensinou o desconhecido a partir do conhecido. Quer dizer, Jesus começava seu ensino do ponto em que se encontravam seus ouvintes e dai os conduzia ao ponto que desejava alcançar. Empregou linguagem que os ouvintes entendiam, para lhes ensinar coisas que não compreendiam. Por exemplo, usou a palavra "água” para lhes ensinar sobre a água viva, isto é, a salvação. Falou-lhes também sobre a lei, conceito bem entendido por todo judeu, para lhes ensinar a nova teologia que ainda não compreendiam. (idem, p.28)

Em segundo lugar, Jesus ensinou conceitos abstratos em termos concretos. Quer dizer, para ensinar conceitos espirituais abstratos, teve que usar exemplos concretos entendidos pelos ouvintes. Um exemplo desta parte de seu estilo pode ser visto no uso da frase “o reino de Deus é semelhante...”. (idem)


c) As técnicas usadas por Jesus

“Seu estilo didático incluía muitas técnicas. Mencionaremos seis delas, que geralmente se recomendam aos professores de nossos dias.” (idem):

Primeiro. Jesus usava o método de fazer perguntas. Nos quatro relatos do Evangelho (Mateus, Marcos, Lucas e João) registramos mais de cem perguntas feitas por Jesus. (idem).

Segundo, Jesus contava histórias da vida cotidiana (parábolas). As parábolas que contou estavam ao nível de compreensão de seus ouvintes, eram concisas, lógicas e despertavam o interesse de todos. (idem).

Jesus usou também o discurso ou conferência. Há pelo menos três discursos de Jesus registrados no Novo Testamento: o que se conhece como Sermão do Monte, o da morada celestial e o do juízo final. (idem).

Em quarto lugar, se usarmos a imaginação, podemos dizer que Jesus usou projetos ou o método de atividades para ensinar. Vários exemplos se encontram no Evangelho de Lucas (5.4; 6.1; 10.1-16; 18.22). (idem).

Quinto, mais uma vez com um pouco de imaginação, podemos ver o uso que Jesus fez de recursos visuais. Usou a figura de uma árvore estéril para ensinar a necessidade, da fé (Ml 21.18-22); uma moeda, para ensinar os deveres para com o governo (Mc 12.13-17); os campos prontos para a ceifa, para ensinar o princípio da urgência (Jo 4.35-39), e outros, não incluindo, evidentemente, os milagres. (idem).

Sexto. Jesus, mais do que qualquer outro mestre na história da humanidade, ensinou pelo método de ser ele mesmo um bom exemplo de tudo aquilo que ensinou. Ele vivia o que ensinava. (idem).

Jesus é nosso professor por excelência. E mirando nele que faremos um trabalho de educação cristã que muito contribuirá para o bem.



BIBLIOGRAFIA

ARMSTRONG, Hayward. Bases da Educação Cristã. Trad. de Merval Rosa. 2Ed. Rio de Janeiro: JUERP. 1994.