O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

30 de outubro de 2012

Igreja Reformada, Sempre se Transmutando?


IGREJA REFORMADA, SEMPRE SE TRANSMUTANDO?

Pr. Gilson Soares dos Santos

Estamos no  mês de Outubro, no qual comemoramos mais um ano da Reforma Protestante (31/10).
          
À época do Sínodo de Dort (1618-1619), o reformador holandês Gisbertus Voetius (1589-1676) cunhou a expressão "Eclesia Reformata Et Semper Reformanda Est", a qual traduzimos em nosso português como "A Igreja é Reformada e Está Sempre se Reformando". Esse slogan tem sido mal interpretado nos dias de hoje.
          
Sempre se reformando é diferente de sempre se transmutando. Muitos confundem reforma com transmutação, metamorfose. Adotam todo tipo de novidade que vai aparecendo, sempre alegando que a Igreja está se Reformando. Descaracterizam a Igreja dos tempos bíblicos, da reforma, do puritanismo. Secularizam o sagrado e espiritualizam o profano: A graça tornou-se libertinagem, o culto transmutou-se em show, o dízimo tornou-se fundo de investimento, milagres tornaram-se marketing para atrair investidores, a qualidade deu lugar a numerolatria, arrependimento é confundido com remorso, fé tornou-se pensamento positivo, conversão confundiu-se com adesão.

Muitos confundem "sempre se reformando" com "sempre se deformando". Compreendem a Reforma de maneira deformada. Igreja Reformada não é igreja deformada. É isso que o inimigo tem tentado, deformar a igreja. Porém o Senhor nos garantiu que "as portas do inferno não prevalecerão" contra Sua Igreja.
          
Reforma não é transmutação, reforma não é deformação. Será que precisaremos fixar outras 95 teses nas portas da Igreja Brasileira, denunciando sua descaracterização e convocando-a para uma Nova Reforma?