O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

24 de agosto de 2012

O Cogito em Agostinho


O COGITO EM AGOSTINHO

Um dos maiores historiadores da Filosofia Medieval foi Etienne Gilson (1884-1978), que antes de ser medievalista era dedicado estudioso da Filosofia Moderna. Um fato muito importante fez que Gilson mudasse da Filosofia Moderna para a Filosofia Medieval: Ele descobriu que o fundamento da Filosofia Moderna estava nos medievais.

Certamente você já leu, ou ouviu falar, que a Filosofia Moderna tem início com o postulado “cogito, ergo sum”, ou seja, “penso, logo existo”, do filósofo Descartes. Porém se você estudar um pouquinho mais verá que o cogito não tem sua origem na filosofia cartesiana, o cogito é agostiniano.

Descartes, de fato, inaugura a Filosofia Moderna, mas o cogito cartesiano é um plágio da filosofia de Agostinho. É possível detectar o cogito nas principais obras do filósofo Medieval.

Foi essa descoberta que fez do Filósofo Etienne Gilson o principal historiador da Filosofia Medieval do século XX.

Para que você compreenda melhor o que estamos dizendo, quero postar um link que o levará a um artigo de autoria de Sávio Laet de Barros Campos, onde ele consegue expor de maneira sucinta a grande descoberta de Etienne Gilson: o cogito em Agostinho.

Com meus cumprimentos,

Gilson Soares dos Santos

Aqui está o Link:   O Cogito em Agostinho