O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

6 de maio de 2012

Como Funcionam os Cultos nas Igrejas do Ré-Té-Té (PARTE I)


COMO FUNCIONAM OS CULTOS NAS IGREJAS DO RÉ-TÉ-TÉ? (PARTE I)

Rev. Gilson Soares dos Santos

          Sabemos que os movimentos pentecostais e neopentecostais têm trazido muitas novidades, em sua maioria, sem base bíblica. O pior de tudo, nesses últimos tempos, surgiu entre os grupos pentecostais e neopentecostais o movimento conhecido como ré-té-té, trazendo consigo comportamentos estranhos, combatidos até mesmo pelos próprios pentecostais. Exemplo claro disto é o texto a seguir, extraído do Livro “Mais erros que os pregadores devem evitar”, de autoria do Pr. Ciro Sanches Zibordi, da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), que revela como funcionam os eventos realizados pelo movimento do “ré-té-té”. Postarei apenas uma parte do texto, em outro momento estarei postando a continuação do mesmo.

___________________________________________________________________________


Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino, que pregues a palavra... com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências. 2 Timóteo 4.1-3




(Atenção: a leitura em voz alta dos nomes dos personagens contidos neste texto facilitará a sua compreensão.)


Estamos na cidade de Reteté da Glória, onde ocorre anualmente um grandioso e tradicional congresso. Pessoas não param de chegar. Pregadores e cantores disputam lugares junto à tribuna, pois — como diz um ditado — quem não é visto não é lembrado. E nada melhor do que o grande Congresso de Reteté para promover ilustres quase desconhecidos e enriquecer ainda mais o currículo dos famosos...

É o primeiro dia do congresso, e a expectativa aumenta momentos antes da primeira reunião, no período da tarde.

— Quem será o pregador? — pergunta a irmã Marionete, no meio de uma multidão de irmãos vindos de várias cidades, os quais se acotovelam, a fim de encontrarem um lugar "confortável" num espaço que sempre recebe quase o dobro de pessoas para a sua capacidade.


— Vi na Internet que estão na programação os pastores José dos Clichês, Edson Alto, Antônio Grito e Joedsnei Lândia — responde o seu esposo, o irmão Títere. — Mas eu tô querendo saber quem vai pregar hoje à noite.

— Eu também — diz Marionete. — Esses pastores têm vindo em todos os congressos e já deram o que tinham de dar. Eu queria saber se não há nenhuma novidade...

— É mesmo, Nete? — responde surpreso o marido, que, devido ao seu trabalho, comparece ao congresso pela primeira vez, aproveitando as suas férias.

— É claro, Tite. O Zé dos Clichês no ano passado pregou de novo aquela mensagem sobre sonhos e enfatizou outra vez que crente que tem promessa não morre. Já o Edson Alto ficou o tempo todo pedindo para o rapaz aumentar o retorno. No meio da pregação, inclusive, ele afirmou que um demônio instalara-se nos equipamentos de som. Quer saber? Eu acho que ele tem é problema de audição...

— E o Antônio Grito foi bem?

— Ah, o pastor Grito tem mais conteúdo, porém, ao contrário do Edson Alto, possui uma voz tão estridente que o controlador tem que ficar diminuindo o som toda vez que ele resolve dizer "Receeeebaaaa". Sabia que um irmão à minha frente estava até usando um protetor auricular? — risos.


—  Não sei o que é pior, Nete, o pregador que pede para aumentar o volume além da conta, ou o que berra ao microfone... Pobres dos nossos tímpanos — risos.

—  O pastor Joedsnei Lândia você conhece, né? É aquele que fica o tempo todo falando contra desenhos animados, filmes, brinquedos, bonecas, casas de hambúrgueres, etc.

—  Ahã... Eu até acho interessante o alerta que ele faz — responde Títere. — O problema é que ele, ao fazer isso, deixa de lado a exposição da Palavra.

— É verdade. Mas eu soube que o evangelista Eli Cóptero também vem — continua Marionete. — Esse até que não grita muito...

— É mesmo? Não é aquele que gira o paletó em cima da cabeça? — pergunta Títere.

— Isso. No último congresso ele foi o grande destaque. No encerramento, além de pular e rodopiar, ele jogou o paletó no chão... Fogo puro. Ficamos todos maravilhados. Foi realmente tremenda aquela noite...

— Mas, Nete, ele pregou sobre o quê? O Elisafã Toche — primo de Marionete — me contou que foi grande o reboliço, mas não soube explicar o que foi pregado... É a minha primeira vez nesse congresso e acho estranhos esses seus relatos.

— Olha, querido, o que Eli Cóptero falou especificamente eu não sei, porém o reteté foi bom demais... Eu me lembro de que o tema do congresso era "Como ser um sonhador neste novo milênio", e ele disse uma frase muito impactante: "Deus destruirá todos os inimigos que tentarem matar os seus sonhos".

Não são apenas Títere e Marionete que conversam, riem e transitam no local destinado aos cultos, ao som das canções dos CDs dos grupos Queimando o Incenso e Animação Profética. Muitos crentes, à semelhança de torcedores aguardando um grande jogo de futebol, mostram-se ansiosos e impacientes. Mas, em meio ao zunzunzum da multidão, o pastor Joselito Lerante resolve assumir o microfone para dar início à reunião.

— A paz do Senhor, irmãos!

— Améém!

— A paz do Senhor, irmãos!

— Amééééém!

— Eu disse "A paz do Senhor, irmãos!" Onde está o povo do reteté? Os canelas de fogo já chegaram?

— Amééééééééém!

— Ah, agora sim! Quantos estão aqui, nesta tarde, para receber uma bênção? Levante a mão e diga "Glória a Deus".

— Glóóóóóória a Deus! — responde o povo, com as mãos levantadas.

— Quantos crêem que durante esse congresso receberão grandes bênçãos materiais e espirituais, como chaves de carros, casas, apartamentos... e muita, muita unção pra fazer o Inimigo ficar apavorado?

— Amééééééém!

— Então mantenha a sua mão levantada e ore comigo. Pai, neste momento em que estamos dando início a esse grande congresso, ordenamos que todas as artimanhas satânicas sejam quebradas. Pedimos que os seus anjos sobrevoem esse ginásio com brasas vivas. Determinamos que os demônios fiquem distantes desta cidade. E, se houver algum demônio maluco, pois só pode ser doido para estar neste lugar, que seja queimado agoooooooora... 

— sons de aleluias, glórias a Deus e brados não inteligíveis.

Após essa primeira oração, uma parte da multidão, acostumada com o evento, agita-se, enquanto outra se divide em vários grupos: céticos, desconfiados, curiosos, decepcionados...