O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

8 de fevereiro de 2013

No carnaval, a carne é quem dá o aval


NO CARNAVAL, A CARNE É QUEM DÁ O AVAL

Pr. Gilson Soares dos Santos

As Sagradas Escrituras enfaticamente mostram a luta entre o espírito e a carne. Precisamente, o apóstolo Paulo, escrevendo aos Gálatas, diz: “a carne milita contra o Espírito, e o Espírito contra a carne, porque são opostos entre si” (Gl 5.17a). Ele ainda acrescenta que se alguém anda no Espírito jamais satisfará à concupiscência da carne.

Uma das mais esperadas festas, no Brasil e em outras partes do mundo, é o carnaval. Festa que vem desde o mundo cristão medieval, período composto por festas profanas que se iniciava, geralmente, no dia de Reis, a chamada Epifania, e ia até a quarta-feira de cinzas, precisando encerrar para que começassem os jejuns quaresmais. O carnaval é a festa da carne. É a carne quem dá o aval, ou seja, é a carne quem dá a garantia plena e solidária da festa. A carne é quem dita o ritmo.

É a carne quem dita o ritmo, por isso, os jovens, homens e mulheres, e até gente quem nem é tão jovem assim, entregam-se ao pecado, aos prazeres da carne, à concupiscência da carne. Sexo, drogas e folia, é tudo o que o homem carnal deseja. Drogas lícitas e ilícitas estão no cardápio de muita gente que se atreve a “brincar” o carnaval. O pecado torna-se prazeroso, embalado pelos ritmos das escolas de samba ou de orquestras pagas para “puxar” a farra.

Se o carnaval é uma festa da carne, é impossível que alguém guiado pelo Espírito sinta qualquer tentação por essa festa que tem o aval da carne. Se a carne milita contra o Espírito e o Espírito faz oposição à carne, então, qualquer pessoa que se entregue a esta festa carnal não pode ser uma pessoa de Deus. Qualquer pessoa que viva pelo Espírito jamais satisfará aos apelos da carne, submetendo-se ao domínio do pecado.

Que Deus tenha misericórdia de todos aqueles que estão cegos, que não conseguem enxergar a luz. Que Deus tenha misericórdia daqueles que ainda não foram regenerados e estão mortos em seus delitos e pecados. Que o Senhor Deus, em sua infinita misericórdia, toque profundamente corações para que se arrependam e entreguem a vida aos cuidados do Senhor, abandonando essa festa diabólica.