O Pr. Gilson Soares dos Santos é casado com a Missionária Selma Rodrigues, tendo três filhos: Micaelle, Álef e Michelle. É servo do Senhor Jesus Cristo, chamado com santa vocação. Bacharel em Teologia pelo STEC (Seminário Teológico Evangélico Congregacional), Campina Grande/PB; Graduado em Filosofia pela UEPB (Universidade Estadual da Paraíba); Pós-Graduando em Teologia Bíblica pelo CPAJ/Mackenzie (Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper). Professor de Filosofia e Teologia Sistemática no STEC. Professor de Teologia Sistemática no STEMES, em Campina Grande - Paraíba. Pastor do Quadro de Ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (AIECB). Pastoreou a Igreja Evangélica Congregacional de Cuité/PB, durante 15 anos (1993-2008). Atualmente é Pastor Titular da Igreja Evangélica Congregacional em Areia - Paraíba.

4 de junho de 2012

Pobreza: Sinônimo de Maldição?


Rev. Gilson Soares dos Santos

TEXTO BÍBLICO: Dt 28.1-14; 28.15-45

INTRODUÇÃO

      Temos diante de nós um capítulo, dividido em duas partes.

A - Na primeira encontramos as bênçãos de Deus decorrentes da obediência.

B – Na segunda encontramos os castigos de Deus decorrentes da desobediência.

     É certo que a Bíblia está recheada de bênçãos para os crentes, ou seja, para aqueles que obedecem aos mandamentos do Senhor.

A – O Salmo 84.11 diz que “o SENHOR dá graça e glória; nenhum bem sonega aos que andam retamente.”

B – É certo que a Bíblia diz que “o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades.” (Fp 4.19).

     NOSSAS QUESTÕES

A – Se uma pessoa não for rica, é sinal que ela desobedeceu e está debaixo de maldição?

B – Todo pobre está debaixo de maldição?

C – Todo rico é porque é obediente?

     O que pregam os adeptos da Teologia da Prosperidade:

A - Os pregadores da “Teologia da Prosperidade” e da “Confissão Positiva” afirmam que “A prosperidade financeira é uma das marcas da fidelidade de um cristão a Deus”.

B - E ainda afirmam: “As pessoas que vivem na pobreza, vivem em pecado. São pobres porque são infiéis e estão sob maldição”.

     Vamos fazer uma análise séria e cristã sobre essa questão.

PROPOSIÇÃO: VEJAMOS PROVAS BÍBLICAS DE QUE A POBREZA NÃO É SINAL DE MALDIÇÃO:

01 - Deus disse que sempre haveria pobres na terra (Dt 15.11); Jesus disse que sempre habitaríamos com os pobres (Mc 14.7); O ministério de Paulo incluía os pobres (Gl 2.10).

1.1    – Vejamos o Texto de Dt 15.11:

11 “Pois nunca deixará de haver pobres na terra; por isso, eu te ordeno: livremente, abrirás a mão para o teu irmão, para o necessitado, para o pobre na tua terra.”

A – Veja que o Senhor diz que nunca deixará de haver pobres na terra.

B – Veja que o Senhor não está falando de incrédulos, mas de irmãos. Ele se dirigia aos filhos de Israel, o povo de Deus.

C – Ele diz que os que estivessem sendo abençoados, abençoassem os outros com seus bens.

1.2    – Vejamos o texto de Mc 14.7:

7  Porque os pobres, sempre os tendes convosco e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem, mas a mim nem sempre me tendes.

A – Jesus deixa bem claro que sempre teríamos os pobres conosco.

B – Ele está se dirigindo aos discípulos. Mostrando que no meio deles existiriam pobres.

1.3    – Vejamos o texto de Gl 1.9,10

9  e, quando conheceram a graça que me foi dada, Tiago, Cefas e João, que eram reputados colunas, me estenderam, a mim e a Barnabé, a destra de comunhão, a fim de que nós fôssemos para os gentios, e eles, para a circuncisão;
10  recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também me esforcei por fazer.

A – Veja que o ministério de Paulo incluía os pobres.

B – Ele disse que procurou fazer isso com esforço.

C – O texto não diz que Paulo deveria dizer aos pobres que sua pobreza era maldição.

02 - Os pais de Jesus eram pobres. Quando Jesus foi apresentado no templo, seus pais levaram oferta de pobre (Lc 2.24 compare com Lv 12.8).

2.1 – Vejamos o texto de Lv 12.8

8 Mas, se as suas posses não bastarem para um cordeiro, então tomará duas rolas, ou dois pombinhos: um para o holocausto e outro para a oferta pelo pecado; assim o sacerdote fará expiação por ela, e ela será limpa.

A – De acordo com a lei, quando alguém era pobre e não podia levar um cordeiro para o holocausto, o que eles levavam? Duas rolinhas ou dois pombinhos.

B – Veja que mesmo entre os crentes, o povo de Deus, havia pobres.

2.2 – Agora vejamos o texto de Lc 2.22-24

22 Passados os dias da purificação deles segundo a Lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentarem ao Senhor, 23 conforme o que está escrito na Lei do Senhor: Todo primogênito ao Senhor será consagrado; 24 e para oferecer um sacrifício, segundo o que está escrito na referida Lei: Um par de rolas ou dois pombinhos.

A – Veja que, pelo texto, entendemos que os pais de Jesus eram pobres, pois não puderam levar um cordeiro para o holocausto.

B - Se pobreza fosse sinônimo de maldição a “Bem-aventurada entre as mulheres” seria uma amaldiçoada, porque era pobre. Mas, na verdade, Jesus e seus pais eram abençoados e abençoadores.

03 - Jesus não tinha dinheiro. Quando foi interrogado se era lícito pagar tributo, Jesus não tendo moeda pediu-a de alguém (Mc 12.14-16). O próprio Jesus afirmou que não tinha onde reclinar a cabeça (Lc 9.58). Até para pagar imposto Jesus não tendo dinheiro pediu que Pedro fosse pescar (Mt 17.24-27).

3.1 – Vejamos o texto de Mc 12.14-16

12 Procuravam então prendê-lo, mas temeram a multidão, pois perceberam que contra eles proferira essa parábola; e, deixando-o, se retiraram. 13 Enviaram-lhe então alguns dos fariseus e dos herodianos, para que o apanhassem em alguma palavra. 14 Aproximando-se, pois, disseram-lhe: Mestre, sabemos que és verdadeiro, e de ninguém se te dá; porque não olhas à aparência dos homens, mas ensinas segundo a verdade o caminho de Deus; é lícito dar tributo a César, ou não? Daremos, ou não daremos? 15 Mas Jesus, percebendo a hipocrisia deles, respondeu-lhes: Por que me experimentais? trazei-me um denário para que eu o veja. 16 E eles lho trouxeram. Perguntou-lhes Jesus: De quem é esta imagem e inscrição? Responderam-lhe: De César.

A – Esse texto claramente mostra que Jesus não possuía dinheiro, pois se ele precisou pedir uma moeda. Ora, se ele tivesse algum dinheiro, apenas mostraria a moeda, não pediria a alguém.

3.2 – Vejamos o texto de Lc 9.58

58 Respondeu-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos; mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.

A – Nesse texto, Jesus mostra que não tinha nem onde reclinar a cabeça. Jesus estava em pecado? Claro que não. A bíblia diz que ele nunca pecou nem em sua boca se achou engano.

3.3 – Vejamos o texto de Mt 17.24-27

24 Tendo eles chegado a Cafarnaum, aproximaram-se de Pedro os que cobravam as didracmas, e lhe perguntaram: O vosso mestre não paga as didracmas? 25 Disse ele: Sim. Ao entrar Pedro em casa, Jesus se lhe antecipou, perguntando: Que te parece, Simão? De quem cobram os reis da terra imposto ou tributo? dos seus filhos, ou dos alheios? 26 Quando ele respondeu: Dos alheios, disse-lhe Jesus: Logo, são isentos os filhos. 27 Mas, para que não os escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir e, abrindo-lhe a boca, encontrarás um estáter; toma-o, e dá-lho por mim e por ti.

A – Chegaram e interrogaram porque Jesus não paga impostos.

B – Veja que Jesus não tinha dinheiro ali no momento para pagar.

C – o que fez ele? Ordenou que Pedro fosse pescar. Pescaria um peixe, nele encontraria o suficiente para pagar o imposto dele e de Jesus.

04 - O transporte de Jesus foi o mais pobre possível: um jumentinho, e era emprestado (Mt 21.1-3)

4.1 – Vejamos o texto de Mt 21.1-3

1  Quando se aproximaram de Jerusalém e chegaram a Betfagé, ao monte das Oliveiras, enviou Jesus dois discípulos, dizendo-lhes: 2  Ide à aldeia que aí está diante de vós e logo achareis presa uma jumenta e, com ela, um jumentinho. Desprendei-a e trazei-mos. 3  E, se alguém vos disser alguma coisa, respondei-lhe que o Senhor precisa deles. E logo os enviará.

A – O transporte de Jesus não era o transporte dos ricos da época, mas apenas um jumentinho. E era emprestado.

B – Jesus não estava em pecado, nem era amaldiçoado.

05 - Pedro e João andavam “lisos” (Atos 3.1-8.)

5.1 – Vejamos o texto de At 3.1-8.

1 Pedro e João subiam ao templo à hora da oração, a nona. 2 E, era carregado um homem, coxo de nascença, o qual todos os dias punham à porta do templo, chamada Formosa, para pedir esmolas aos que entravam. 3 Ora, vendo ele a Pedro e João, que iam entrando no templo, pediu que lhe dessem uma esmola. 4 E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós. 5 E ele os olhava atentamente, esperando receber deles alguma coisa. 6 Disse-lhe Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho, isso te dou; em nome de Jesus Cristo, o nazareno, anda. 7 Nisso, tomando-o pela mão direita, o levantou; imediatamente os seus pés e artelhos se firmaram 8 e, dando ele um salto, pôs-se em pé. Começou a andar e entrou com eles no templo, andando, saltando e louvando a Deus.

A – Os discípulos não tinham dinheiro.

B - Apesar de serem homens sem dinheiro não eram amaldiçoados, pois se fossem, o paralítico não teria andado.

06 - Os pregadores da “Confissão Positiva” e da “Teologia da Prosperidade” dizem que pobreza é falta de fé. A Bíblia mostra que você pode ser um crente de fé, e, no entanto, ser pobre.

6.1 - Veja a “Galeria dos Heróis da Bíblia” em Hebreus 11. Até o versículo 35, mostra homens de fé que eram ricos e bem sucedidos. Mas, a partir do verso 35, mostra homens de fé que eram pobres e sofredores.

CONCLUSÃO

     No meio do povo de Deus sempre haverá:

A – Pessoas abastadas, com muita riqueza.
B – Pessoas que terão o suficiente para viver muito bem.
C – Pessoas que terão com abundância, mas não serão ricas.
D – Pessoas pobres.
E – Pessoas que terão suas necessidades supridas (Fp 4.19).
F – Deus provê o necessário para seu povo, não ande ansioso por coisa alguma (Lc 12.22-32)

     O que não haverá no meio do povo de Deus:

A – Justo que mendigue pão (Sl 37.25)

"Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão."

     No meio do povo de Deus haverá aqueles que estarão sendo provados, como aconteceu com Jó.

     Mas em todas coisas SOMOS MAIS QUE VENCEDORES.